terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Amando Diane Von Furstenberg












   Não só a vida é feita de detalhes.
   // imagens: Vogue.com

Para não tirar do iPod

   A banda é de Nova York e seu primeiro álbum é considerado um dos melhores. Turn On The Bright Lights, do Interpol, lançado em 2002, é um dos meus preferidos de todos os tempos. O baixo latente, em todas as músicas, é o que mais me faz gostar das músicas. E, apesar de serem classificados como uma banda indie-alternativa, creio que eles vão muito além disso. Pra quem quiser baixar, tem esse link aqui. Espero que gostem!



domingo, 20 de fevereiro de 2011

Por um inverno mais neutro

   O inverno "está chegando", e a cor mais comum que se vê nas ruas continua sendo... o preto. Aliás, tanto nas ruas quanto nas roupas que usamos, certo? Além de ser uma cor que, fisicamente dizendo, ajuda a manter a temperatura do corpo, é muito sofisticado usar preto no inverno - dá aquele ar de mistério que o verão tira, sabe?  Mas não é por isso que precisamos sempre encontrar no preto a salvação, não é?


    Os neutros, além de muito elegantes, dão um ar muito feminino a qualquer roupa. Seja com tons misturados, um degradê de cores ou até o off-white, todos são graciosos o suficiente para substituir o preto com a mesma eficiência. Aproveitando isso e toda a sanidade que perco quando entro no site da Topshop, fiz uma wishlist de inverno só com coisas do site. E já que (ainda) não temos a amada loja por aqui, essa lista é acima de tudo inspiracional, viu?


sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

Alongue-se

   Tendências são feitas de opostos. Ou 8 ou 80. Dessa overdose de minis que estamos vendo e vivenciando desde o início do século, a saturação foi tão grande que vieram os longos, sem data de expiração prevista, para dar uma repaginada no guarda-roupa e na vida. E apesar da chegada dos longos, não houve a overização dos minis. Uma forma bem democratizada de manter a paixão pelo símbolo da feminilidade.






Terapia visual


   Já que eu nunca posto look do dia ou algo que o valha: achei essa foto perdida por aqui e, né, tá valendo hahah. Ir vagando pelos sebos da Sé é insanidade na certa: livros muito bons a preço de banana! Que fique a dica pra quem também gosta e tudo mais. 

Sobre o look
Blusa // Emme
Calça sem marca // raptada do guarda-roupa da mãe de uma amiga (!)
Sapatilha // Arezzo
Bolsa // Cantão

   E, pra quem tiver interessado: 
   Sebo Machado de Assis, R. Álvares Machado, 50.

quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

217, Hits


   Tô in love com esse esmalte. A textura é ótima, duas-mãos-e-já-tá-ótimo. Sem contar que a cor é belíssima. Na embalagem tá dizendo que é fosco, mas não me importei por não ser hahah.

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

Arroz-doce da Leonor

   Fui obrigada a repassar essa receita que vi no Flagrande Delícia. Sou amante de arroz doce, ainda mais quando ele tem essa cara e quando o tempo tá assim: nublado e fresquinho. O primeiro contato que tive com esse blog foi quando estava procurando uma receita decente de cheesecake, pela internet. E desde então sempre dou uma olhada pra saber mais sobre as sobremesas de Leonor. Esse mês a ELLE publicou uma nota sobre a chef e blogueira:


   Então, uma receitinha fácil pra gente se adaptar à Leonor:

Arroz-doce do cesto (Beira Alta)


Para cerca de 4 a 6 pessoas

Ingredientes:
250 ml de água
80 g de arroz carolino
Raspa de limão
Uma pitada de sal
1 l de leite gordo
4 gemas
200 g de açúcar
Canela moída para polvilhar

Modo de preparo:
Misturar o arroz, a água, a raspa de limão e o sal e levar ao lume deixando ferver lentamente até que toda a água se tenha evaporado.
Adicionar o leite e deixar ferver lentamente até que o arroz esteja completamente cozido.
Misturar as gemas com o açúcar e juntar ao leite, fora do lume, mexendo bem.
Levar novamente ao lume até que as gemas cozam (não deixar ferver).
Retirar do lume e deitar o arroz-doce num prato fundo.
Deixar arrefecer completamente e servir polvilhado com canela moída.

   O resultado final, fica mais ou menos assim (como as fotos do próprio site da Leonor mostram):


  Agora é só sair da dieta e aproveitar!

segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

Filme: Stealing Beauty (Beleza Roubada)

   Tarde de segunda feira, tempo nublado, muito tédio e vários filmes. A equação perfeita, ainda mais quando preenchida pela beleza e boa atuação da Liv Tyler. Beleza roubada, dirigido por Bernardo Bertolucci (Os Sonhadores, Último Tango em Paris), é um filme de 1996, com um enredo simples - preenchido com ótimos cenários, um figurino super vintage e uma trilha sonora que não é pra ninguém botar defeito. Lucy (Liv Tyler) é uma jovem de 19 anos que mora nos Estados Unidos, e acaba indo para a Itália, na casa de uns amigos de sua mãe, quando ela se suicida. Com a desculpa de ter seu retrato feito, sua real motivação para tal viagem é de reencontrar Nicolo, com quem deu seu primeiro beijo na última vez que esteve por lá, há quatro anos. A trama é bem leve, com um desenrolar bem suave: ela não sabe a real identidade do pai, e enquanto se hospeda por lá tenta resolver tal assunto, assim como sua possível paixão por Nicolo. 
   E a Liv, como sempre, muito bonita e natural, durante todo o desenrolar de seu papel. Vale muito a pena.



   E, por último e não menos importante: a trilha sonora do filme é ótima. De Billie Holiday a Portishead, cada música envolve perfeitamente cada momento em que se encaixa. Dêem uma olhada no trailer (não consegui achar legendado, gente, mas acho que tá valendo, né?):

domingo, 13 de fevereiro de 2011

Pulseirismo



   A segunda foto foi mais pra mostrar o esmalte do que pra qualquer outra coisa! Douradérrimo, o Glitter Forte, da Hits, ganhou um espaço entre meus esmaltes preferidos (com duas camadas já fica ótimo, o ruim é só pra limpar, que aí é glitter pra tudo quanto é lado!).
   E sobre as pulseiras, confesso: me rendi. A melhor forma de dar um up em qualquer look, da forma mais simples possível. O negócio é misturar diferentes modelos e materiais (mas, claro, que tenham uma conexão entre si), e se jogar.

I am the swan queen

   O filme ta aí faz um tempinho, mas achei melhor comentar depois de ter assistido. Pois bem. Ontem fui ver Black Swan e, olha, fantástico. O enredo, a atuação da Natalie Portman, o figurino (Rodarte ♥) e a maquiagem, assim: impecáveis. Já foi pro meu Top 5 de filmes, e olha que eu sou enjoada!
   Bom, como a maioria já sabe, se trata de um drama com um quê de thriller sobre uma bailarina que, pela sobrecarga de desempenhar perfeitamente o papel principal de uma adaptação de O Lago dos Cisnes, acaba desenvolvendo alguns distúrbios psicológicos. Além disso, como o próprio diretor (Darren Aronofsky, o mesmo de Requiem Para um Sonho) disse, grande parte do filme foi querer passar a real imagem de como é difícil e disciplinada a vida de baliarinos profissionais. A própria Natalie acabou fraturando uma costela durante os ensaios e gravações, mas não quis parar de filmes exatamente para entender realmente a dor que sua personagens e que os outros bailarinos estão propensos a sentir nesse rítmo frenético de treinos.
   Cinco estrelinhas muito bem dadas, na minha avaliação sobre o filme.



  




    É, Natalie, you were.

sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

Paris vs New York

   Vahram Muratyan, designer gráfico e apaixonado por Paris e NY, fez um blog mostrando suas ilustrações sobre os paradoxos das duas cidades. O Paris vs New York, a tally of two cities mostra, de uma forma divertida, porquê as duas cidades são tão amadas - e ao mesmo tempo tão diferentes entre si.




   Apaixonante.